Skip to content →

Tag archive for: scream & yell

Download: Tributo a Belchior – “Ainda somos os mesmos”

Quase 40 anos depois de lançado, o disco Alucinação (1976), de Belchior, é agora revisitado por músicos da atual geração da música brasileira. Bruno Souto, Nevilton, Phillip Long, Transmissor e vários outros nomes dão voz aos clássicos do trabalho de 1976 no tributo Ainda somos os mesmos, que apresenta as 10 faixas do álbum original com tonalidades de 2014 sem perder totalmente o gostinho de mofo dos anos 70.

Com produção do jornalista Jorge Wagner, Ainda somos os mesmos está disponível para download gratuito no Scream & Yell. O tributo também vem acompanhado com o EP Entre o sonho e o som, que traz outros clássicos de Belchior que não fazem parte de Alucinação. Em resumo: é um tributo bem bonito. Vale a pena.

Ouça o tributo Ainda somos os mesmos:

Ouça o EP Entre o sonho e o som:

Ouça Alucinação, a obra-prima de Belchior, que mais parece uma coletânea, dado o número de clássicos que seguem transitando ilesos pela história:

Leave a Comment

Os melhores de 2013 do Scream & Yell

Mais uma participação minha nos melhores do ano do Scream & Yell. Dessa vez com votos para 2013 ao lado de mais 118 participantes (vale passear pelas listas individuais). Lista completa lá. Meus pitacos:

MELHOR DISCO NACIONAL
Marcelo Jeneci – De Graça
Bruno Souto – Estado de nuvem
Emicida – O glorioso retorno de quem nunca esteve aqui
Apanhador Só – Antes que tu conte outra
Tom Zé – Tribunal do feicebuqui

MELHOR DISCO INTERNACIONAL
Queens of the Stone Age – …Like clockwork
Portugal. The Man – Evil friends
Arctic Monkeys – AM
Nick Cave & The Bad Seeds – Push the sky away
White Denim – Corsicana lemonade

MELHOR MÚSICA NACIONAL
Marcelo Jeneci – “O Melhor Da Vida”
Bruno Souto – “Dentro”
Apanhador Só – “Despirocar”
Emicida – “Crisântemo”
Boogarins – “Lucifernandis”

MELHOR MÚSICA INTERNACIONAL
Daft Punk feat. Pharrell and Nile Rodgers – “Get Lucky”
Lorde – “Royals”
Portugal. The Man – “Creep In A T-Shirt”
Queens Of The Stone Age – “I Sat By The Ocean”
Nick Cave & The Bad Seeds – “Jubilee Street”

MELHOR LIVRO
A tristeza extraordinária do Leopardo-Das-Neves, de Joca Reiners Terron
Digam a satã que o recado foi entendido, de Daniel Pellizzari
Campo em branco, de Emilio Fraia e DW Ribatski
Minha alma anagrama de lama, de Andre Dahmer
Mondo Massari, de Fabio Massari

Foto lá do Scream & Yell mesmo.

Leave a Comment

Os melhores de 2012 do Scream & Yell

Ano passado participei mais uma vez da lista de melhores do ano do Scream & Yell, que contou com a participação de 119 votantes. O resultado final está lá no site e uma das coisas mais legais é caminhar por cada um dos votos individuais e descobrir coisas novas. Vale. A seguir a lista que mandei para o Mac:

MELHOR DISCO NACIONAL
Tulipa Ruiz – Tudo Tanto
Céu – Caravana Sereia Bloom
Saulo Duarte e a Unidade – Saulo Duarte e a Unidade
BNegão & Os Seletores de Frequência – Sintoniza Lá
Jair Naves – E Você Se Sente Numa Cela Escura, Planejando A Sua Fuga, Cavando O Chão Com As Próprias Unhas

MELHOR DISCO INTERNACIONAL
Alabama Shakes – Boys & Girls
Tame Impala – Lonerism
Michael Kiwanuka – Home Again
Jack White – Blunderbuss
Band Of Horses – Mirage Rock

MELHOR MÚSICA NACIONAL
Tulipa Ruiz e Lulu Santos – “Dois Cafés”
Céu – “Chegar em Mim”
Jair Naves – “Pronto Para Morrer (O Poder de Uma Mentira Dita Mil Vezes)”
Violins – “Cê Tá afim?”
BNegão & Os Seletores de Frequência – “Alteração (ÉA!)”

MELHOR MÚSICA INTERNACIONAL
Alabama Shakes – “Hold On”
Tame Impala – “Elephant”
Band Of Horses – “Knock Knock”
Jack White – “Sixteen Saltines”
Michael Kiwanuka – “I’ll Get Along”

MELHOR SITE/BLOG
Trabalho Sujo
Ronaldo Evangelista
Anorak
Malvados
Esforçado

MELHOR LIVRO
A Visita Cruel Do Tempo, de Jennifer Egan
O Torreão, de Jennifer Egan
Barba Ensopada De Sangue, de Daniel Galera
Diomedes: A Trilogia Do Acidente, de Lourenço Mutarelli
Guerra E Spray, de Banksy

QUAL SHOW VOCÊ GOSTARIA DE VER NO BRASIL EM 2013
David Bowie
John Frusciante
Jack White
The Cure
Neil Young

Imagem lá do Scream & Yell mesmo.

Leave a Comment

Os melhores de 2011 do Scream & Yell

Essa foi minha segunda contribuição com a lista dos melhores do ano do Scream & Yell (ou a-melhor-e-mais-tradicional-lista-do-Brasil), que nessa edição contou com a participação de 112 pessoas. A apresentação e caminho para todas as categorias estão aqui. Mas a grande dica é passar por cada uma das listas individuais e descobrir novas coisas, músicas, filmes, livros, discos, sites, blogs etc. Abaixo está a listinha que mandei para o Mac.

MELHOR DISCO NACIONAL
Los Porongas – O segundo depois do silêncio
Pélico – Que isso fique entre nós
Wado – Samba 808
Fabio Góes – O destino vestido de noiva
Criolo – Nó na orelha

MELHOR DISCO INTERNACIONAL
The Decemberists – The king is dead
The Black Keys – El camino
Tv On The Radio – Nine types of light
Arctic Monkeys – Suck it and see
Wilco – The whole love

MELHOR MÚSICA NACIONAL
Los Porongas – “Dois lados”
Wado – “Com a ponta dos dedos”
Bonifrate – “Esse trem não improvisa”
Criolo – “Subirusdoistiozin”
Kassin – “Calça de ginástica”

MELHOR MÚSICA INTERNACIONAL
The Decemberists – “Down by the water”
R.E.M. – “Überlin”
The Black Keys – “Lonely boy”
TV On The Radio – “Will do”
Foo Fighters – “Rope”

MELHOR SHOW NACIONAL
Cidadão Instigado (Conexão Vivo no Palácio das Artes, em BH)
Otto (Conexão Vivo no Palácio das Artes, em BH)
Céu (Palácio das Artes, em BH)
Los Porongas (Stúdio Bar, em BH)
Violins (Stúdio Bar, em BH)

MELHOR SHOW INTERNACIONAL
Paul McCartney (Estádio do Engenhão, no Rio de Janeiro)
Mayer Hawthorne (Circo Voador, no Rio de Janeiro)

MELHOR FILME NACIONAL
O palhaço
Daquele instante em diante

MELHOR FILME INTERNACIONAL
Um lugar qualquer
Cisne negro
Namorados para sempre
Howl
X-men: primeira classe

MELHOR SITE (exceto o S&Y)
OEsquema
+ Soma
Malvados
Rolling Stone Brasil
Rock em Geral

MELHOR LIVRO
Asterios Polyp, de David Mazzucchelli
Daytripper, de Fábio Moon e Gabriel Bá
Quando meu pai se encontrou com o ET fazia um dia quente, de Lourenço Mutarelli
Ultralafa, de Daniel Lafayette
Ordinário, de Rafael Sica

LIVROS NÃO LANÇADOS EM 2011
Alta fidelidade, de Nick Hornby
Medo e delírio em Las Vegas, de Hunter S. Thompson
Clube dos corações solitários, de André Takeda
31 canções, de Nick Hornby
Emissões noturnas – cadernos radiofônicos de FM, de Fabio Massari

MELHOR BLOG
Trabalho Sujo
Blog do Ronaldo Evangelista
Eu, ela, o cão e o affair redivivo
Esforçado
Bate Estaca

MELHOR TWITTER
Arnaldo Branco (@arnaldobranco)
André Dahmer (@malvados)
Marcelo Costa (@screamyell)
Rodrigo Levino (@rlevino)
José Norberto Flesch (@jnflesch)

Leave a Comment

Um adolescente nos anos 80

Música e literatura. Duas das artes que talvez mais emocionem as pessoas quando bem desenvolvidas, executadas. Tarefa que poucos conseguem realizar com propriedade, arrisco. Ainda mais quando o assunto é juntar essas duas áreas de alguma maneira, seja lá qual for. E a série de contos inspirados em músicas “Um adolescente nos anos 80”, que André Takeda escreveu no início dos anos 00, bate em cheio no peito. Talvez não para todo mundo, mas principalmente para os que de alguma maneira vivem dentro desse universo pop. Por conta do envolvimento do leitor com o universo abordado, tudo se torna ainda mais saboroso.

Nasci neles e, obviamente, não fui adolescente nos anos 80. Mas não tem como não se identificar com os personagens, o cenário, as histórias e até as músicas. Muita gente tem uma Julia guardada em sua memória de adolescente ao lado de muita música, cerveja, cigarros e hormônios berrando mais que os Sex Pistols. Aquela Julia que entende e conhece as mesmas canções que você. E isso já a transforma automaticamente na mulher da sua vida. Mas ela também é aquela Julia que vai terminar tudo e preferir o cara que já está no 3º ano ou na faculdade. A vida é cruel e dolorida. E o mundo é injusto. Todo adolescente sabe disso.

“O fundo da sala-de-aula era meu território. Não que eu fosse um aluno arruaceiro ou coisa parecida. Sempre preferi sentar nas últimas classes porque era lá que estavam as pessoas mais divertidas, além de ser um ótimo lugar para eu ficar rabiscando formações imaginárias do que seria minha banda perfeita sem que nenhum professor viesse encher meu saco.” Ao ler esse trecho do conto #9 sou capaz de ver na minha frente meus cadernos com as últimas páginas rabiscadas com as formações das minhas bandas dos sonhos. Além de desenhos e logotipos de bandas e outras páginas com todas as letras do alfabeto, do A ao Z, dedicadas a nomes diferentes de bandas/artistas em cada linha. Só que tudo isso na virada dos 90 para os 00 (sou jovenzinho, baby). E não lá nos anos 80 de Takeda.

Crescemos e às vezes a vida parece ser bem mais que os discos e as músicas que nos explicam. E outras vezes não…

Os contos de André Takeda estão nos arquivos de uma das primeiras fases do Scream & Yell. Ah, o Scream & Yell… Sempre ele. Valeu!

Clique em cada nome abaixo para ler o respectivo conto. Mas a grande dica é clicar no primeiro e ler até o último sem parar. Vale a pena passar alguns minutos da vida por lá.

#1 “The Whole Of The Moon”, The Waterboys
#2 “Close To Me”, The Cure
#3 “The Boy With The Thorn In His Side”, The Smiths
#4 “The Number Of The Beast”, Iron Maiden
#5 “If You Leave”, Orchestral Manoeuvers In The Dark
#6 “Fall On Me”, R.E.M.
#7 “Downtown Train”, Tom Waits
#8 “Make Believe”, Joan Jett & The Blackhearts
#9 “This Is The Day”, The The
#10 “The Killing Moon”, Echo & The Bunnymen

“Um adolescente nos anos 80” faz parte de uma coluna, chamada Soundtracks, que André Takeda mantinha em alguns sites. E aqui é possível baixar um PDF com a série e outras histórias. Vale.

 

Leave a Comment